terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Feliz ano novo!

Estou me adiantando a desejar a todos um feliz natal e um ótimo ano novo, pois vou me ausentar um pouco no blog.
Não pretendo ficar muito tempo longe... Mas deixo em palavras a minha pretenção de mudar o layout do meu blog (o azul já desbotou), porque se assim não fizer, não o mudarei tão cedo! =P

Logo no começo de janeiro pretendo estar de volta!

Beijão!

Até mais!!!


PS: Nesse ano de 2009, aproveite pra fazer o que der na telha! Afinal, nunca se sabe quanto tempo ainda temos pra passar o tempo... ;)
.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Pela luz dos meus olhos


Desculpem a demora em atualizar o blog, passei por uma semana que foi uó! Todos os dias prova! Todos os dias, trabalho! Todos os dias... que dias? Nem dias eu vi... Eu me lembro que havia um computador, uns papéis com algo escrito e uma sala cheia de gente... E mais nada. Um buraco negro me puxou e eu só fui!!!
Agora cá estou sacudindo das minhas roupas as poeiras estelares... Pelo menos por uma semana não terei nem aula nem provas... Por enquanto.

Enfim... Final de semana aí, e eu com minhas saudades e nostalgias... Desabafei.
E, no desabafo, um grito percorrendo a blogosfera...

Apagadas as luzes, meus olhos ainda abertos refletem a luz da vela.
Vejo-te ali, sentando na beirinha da cama.
Na mesma cama que por milhares de segundos atrás medi forças e desejos...
Vejo-te na borda da cama, o quarto inteiro vibra, e eu diluida numa chícara de café, evaporada num incenso...
E cá estou, a contar horas perdidas em minutos, esperando... Há algo para se esperar, enfim.
Pego o celular, releio todas as mensagens e meus olhos semicerrados te procuram dentro de mim. Sinto seu cheiro, sinto o peso do seu corpo. Ouço sua repiração entre palavras balbuciadas, está dormindo...
O som da paz, meu refúgio enfim...
Sinto você pulsar como se meu coração estivesse fora do meu peito e dentro do teu, enlouquece!
Falta ar, falta cor, falta você, me falta...
.
.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Clara, noite rara...

E eu reclamando que estava sem idéias...
Ontem meus olhos ardendo de sono mas minha mente inquieta não me deixava dormir. Meu único recurso foi alimentar meu vicio de escrever. Sentei-me na frente do notebook, clarearam as idéias, abri uma música e meus dedos correram sobre o teclado de um jeito tão natural que foi difícil segurar. Fui dormir ás 3 da manhã, leve como a madrugada tem que ser.
.
Eis o resultado:
.
Certa vez uma jovem anjinha, de cabelos cacheados e asas ainda pequenas, caminhando pela estrada resolveu reparar no céu.
O dia estava claro, não havia nuvens. Ela fechou os olhos para sentir o ar e acabou percebendo um suave toque de calor sobre a pele. Abrindo os olhos percebeu que o Sol lhe brilhava a mais intensa e apaixonante luz do universo. Ele parecia sorrir-lhe.
O Sol por sua vez também enamorou-se pelo sorriso da anjinha. Ela pareceu gostar tanto do seu calor, e ninguém até então havia lhe dado tanto valor.
Infelizmente ela não conseguiu encará-lo por muito tempo e logo desviou o olhar. Seus olhos lacrimejados pela força do Sol desejavam chegar cada vez mais perto, mas ele, o Sol, sabia que não era possível.
Deixe-me te tocar” – Ela dizia, sem olhá-lo.
Mas você não pode, eu vou te machucar” – Dizia ele, por cautela à linda menina que ele havia encontrado.
Todos os dias de manhã ela saía a caminhar apenas para senti-lo. E quando as nuvens o tampavam ela sentia tanta falta que o que mais desejava era jogar-se no fogo para senti-lo perto novamente.
Mas o destino começou a separá-los. As nuvens não a deixavam senti-lo e ele, por detrás das nuvens, podia sentir a saudade que ela demonstrava.
Debaixo da chuva ela começava a procurá-lo. Enfrentando tempestades, esperou, esperou...
Até que depois de muito tempo o céu se abriu novamente e ele estava ali, a sua espera. Ela olhou para ele e sentiu queimar em seu coração toda a chama que no Sol incendiava.
Não olhe para mim, deixa que eu cuido de você” – Ele falou.
Ela então abaixou o olhar e ele a secou com o seu calor.
Eu não quero mais ficar longe de você!” – Ela falou. – “Você é o único ser em todo o universo que consegue me fazer sentir acolhida. Eu sinto seu calor esquentar a minha pele e meu coração também se aquece!... Minhas asinhas ainda são muito pequenas, mas eu sei que posso te alcançar!
A idéia de tocar o Sol então começou a lhe parecer real. Ela não queria mais passar por aquela prova e ficar longe dele novamente por tanto tempo. E decidiu buscar alguma forma de alcançá-lo.
“Isso é loucura! Se você me tocar eu sei que vou te ferir. Você não vai agüentar!” – Ele dizia.
Mas ela não o ouvia. Ela sentia que precisava dele para poder sentir-se inteiramente viva. Buscou em espírito alguma forma de alcançá-lo. Buscou caminhos e respostas, e seu amor lhe bastava para ter coragem e tocá-lo.
O Sol, preocupado, também a desejava por perto. Entendeu a coragem que ela depositava e tão logo confessou que a amava.
A pequena anjinha juntou as energias ao seu redor, recorrendo ao seu coração toda força que parecia ter e partiu a encontrá-lo.
A cada distância vencida, mais ela sentia seu calor. E ardia, mas ela não desistiria.
“Eu te amo e vou te alcançar! Eu me conheço e sou fiel aos meus sonhos.” – Ela dizia, e sustentando o olhar, cegou.
E a cada passo dado, ele se enchia de luz e seus raios refletiam cada vez mais longe.
Ela fora se aproximando, e o fogo do Sol a queimando.
O rosto angelical molhava-se em lágrimas, e a paixão crescia na medida em que ele a queimava. Ela se transfigurava. A dor lhe fervia a pele, mas já não tinha como voltar, ela estava perto demais e sabia que o alcançaria.
Então num só impulso ela se jogou e ele a segurou num único abraço.
Por milésimos de segundo ela sentiu na pele aqueles braços a envolvendo e sorriu a união entre Sol e coração.
De tanto chorar, em lágrimas suas cinzas se transformou.
Fez-se neste dia uma imensa tempestade. A chuva caía do Sol e inundava a Terra.
Dos braços do Sol ela caía, dilúvios de chuva, transformou-se em lago. Em mar. E oceanos. Cobriu-se então a Terra, de pacífico a índico.
A partir de então dia a dia ela dormiria sob seu toque. Pelo reflexo de sua pele o Sol lhe tocaria, e ela absorveria todo seu calor, tornando-se Mar e Sol, apenas um.
Hoje eles se encontram dia e noite, ao redor da Terra. Tocam-se e trocam olhares. Ela consegue enfim encará-lo. E ele lhe sorri, transformando uma história de amor numa linda paisagem de verão podendo ser contemplada por todo o planeta.
.

"Existem apenas duas maneiras de ver a vida:
Uma é pensar que não existem milagres,
E a outra é acreditar que tudo é um milagre"

Albert Einstein

...

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Branco

Onde foram parar minhas idéias??

Falta tempo!
Só pra variar.
.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Aquele dia...

Ganhei um presente!
O melhor de todos...
Letras em ordem, um texto, uma narração... Uma confissão! Sobre algo que há muito aconteceu, não sei dizer há quanto tempo exatamente, mas foi algo que marcou... E descobri, não só a mim:

"Aquele dia, o sol nasceu diferente...Tinha um brilho mais intenso. A manhã estava linda, era possível escutar os pássaros cantando, e o cheiro de grama molhada pelo sereno da madrugada.
O dia anunciava mudanças, alguma coisa boa estava por vir.
No trabalho, as horas pareciam não passar, e a cada vez que olhava para o relógio ele me pedia calma.
Meu pensamento voava até ela, e tentava adivinhar o cheiro de sua pele, o tom de sua voz, o jeito do seu andar...
Nada poderia me segurar ou me impedir de ir encontra-la, nem transito parado, nem dores, nem tempo de chuva, nada...nem ninguém!
É hora de ir pra casa, e me arrumar para ela...
No caminho do encontro, o coração parecia não caber no peito, as pernas não paravam um segundo. Comecei a pensar no que iria falar quando há visse, e logo em seguida desisti dessa idéia, porque teria que ser natural.
É hora de descer do ônibus, a partir de então faltariam poucos minutos até o nosso encontro. Passei perto de um carro parado, conferi o visual... pronto, estou no lugar combinado, e agora? Fico em pé ou sentada? Mando mensagem ou espero? Certo, vou me sentar.
Os minutos passam, e minhas mãos começam a suar... Caramba, que demora, será que ela não vem mais? Será que me viu de longe, se assustou e foi embora? Será que meu cabelo ta bom? Ta, respira fundo!
E de repente, um susto...N-O-S-S-A!
Ela estava ali, na minha frente, mais baixa do que eu imaginava (o que já me encantou), cabelos longos e soltos, um corpo desenhado e perfeito, e um brilho lindo no olhar, como o sol que eu havia visto pela manhã. E num ato espontâneo, trouxe para mim um pirulito em formato de coração. E assim a gente se abraçou, profundamente, e esquecemos do tempo...do mundo, e tudo parecia ter parado para aquele momento...só conseguia sentir seu corpo com o meu, o resto era o resto!
Reparei nela, uma beleza única, e isso tudo em milésimos de segundos...
E eu estava ali, diante dela...sem saber como agir, as palavras saiam, e eu parecia estar voando!
Seu cheiro eu sentia de longe, era um cheiro bom que parecia conhecer a anos...seu olhar se encontrava com o meu, e por varias vezes fiquei tímida.
Sentamos em uma praça, e lá ficamos conversando sobre vários assuntos... ela prestava atenção em cada palavra pronunciada, o seu olhar me seguia com aquele brilho que parecia refletir por toda parte, a praça parecia mais iluminada com a presença dela...e meu coração batia num ritmo descompassado!
Foi ficando tarde, e ela precisava voltar pra casa. Não aconteceu nenhum beijo aquela noite, mais as nossas almas já caminhavam de mãos dadas e felizes...Já não tinha mais como fugir daquilo.
Fui até o ponto de ônibus com ela, já me sentia na obrigação de protege-la...Nos despedimos com um lindo, forte e intenso abraço. E assim ela partiu, levando consigo o meu coração!
Deixou o seu coração comigo, o seu cheiro, o seu abraço, a sua voz, o seu brilho, e a esperança de acreditar que enfim havia encontrado ela, a minha alma gêmea!
Foi nesse dia que comecei acreditar que o tempo é superficial, que quando é pra acontecer, simplesmente acontece...E quando resolvemos dar conta do que houve, já não tem mais como fugir, porque o que o destino proporciona, o Amor não separa nunca mais.

Ass: Ela"

.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Lá agente continua...

Recebi uma notícia hoje a tarde que me fez chorar... Uma amiga não muito próxima, mas conhecida o suficiente pra me fazer perder o ar ao saber de sua morte...
Não consegui dormir, coloquei meus dedos pra desabafar.
Como não sou de me calar, vou compartilhar com vocês.
Infelizmente não é o primeiro post de luto que eu coloco aqui.
Mas estamos predestinados a isso...

Venho, enfim, contar o que vi
Pelo terceiro olho, o mundo tremer eu assisti
Uma guerra entre o céu e o inferno
Senti sob meus pés o chão se abrir
Do outro lado da colina uma silhueta de alguém eu vi
Pela sua expressão eu senti
Fora há pouco transformada em anjo
Fez da montanha inerte, um vulcão em erupção
Senti em mim cada pedaço de mil corações
Que de saudades já choravam
E meu peito, apertado, sufocava...

Pudera ser eu a tomar o cálice que minhas mãos entregavam
Pudera ser do livre arbítrio um dom
Pudera eu ter o poder de interferir na vida e na morte
Na dor e no amor
No passado, no futuro...

Venho por um apelo à sociedade:
Ouçam, escravos da liberdade
O cantar das trombetas
E o riscar das lápides
Ouçam...
O ciclo da vida gritando alto por todos os lados
E o bater de asas dos anjos
Ouçam o fechar dos olhos de quem se vai
E o coração gritar
Para que não se arrependam depois
Agarrem-se às espadas
Vistam-se das armaduras necessárias
Preparem-se para o óbvio
E para o surpreendente
Estejam preparados, mas nunca antecipados
Para a morte
E o eterno nascimento.
Lá, agente continua...
.

sábado, 25 de outubro de 2008

Dois de mim

Em um momento de extrema crise existencial, quando não há nada para se fazer numa aula de história da arquitetura e o urbanismo, o som da caneta ao arranhar o papel fala mais alto:

Ela andava pelos campos abertos
Regando as flores que pediam o seu mel
Ela amava o mundo em que vivia
Pelo grande ou pequeno se encantava
Até quem aparecia para machucar ela amava
Feita doce e mel ela caminhava
Em flores e cores caminhava
Estava sempre sozinha
De mãos dadas, sozinha
Apaixonada, sozinha
Ajoelhava-se e falava com Deus
Rendia-se em confissões
Numa mão um cálice, na outra seus corações...


Ela caminhava pela cidade densa
Entre ponteiros de um tempo que não pára
Ela observava de longe mundos ao redor
Regada de esperança, força e dor
Monocromática buscava neste mundo sua cor
Curando feridas alheias se curava
Enchergando almas alhieas se encontrava
Ajoelhava-se falando com Deus
Rendia-se em confissões
Numa das mãos um vão, na outra sua serena solidão.
.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Selos e brincadeirinhas...

Passando rapidinho, aproveitando meu maravilhoso dia de folga pra postar um joguinho de perguntas e respostas que eu ganhei da borboletinha Sammyra, do Borboleteando:

É digamos que um raio X:

Nome: Camila
Idade: 19 primaveras
Local de Nascimento: Campinas
Peso: 55kg
Altura: 1,62 e daí? (baixinha ivocada)
Apelido de infância: Cah, entretantos...
Qual é a sua maior qualidade? Companheirismo
E seu maior defeito? Ciúmes, talvez insegurança...
Qual é a característica mais importante em um homem? Integridade
E em uma mulher? Sensibilidade
Qual é a sua idéia de felicidade? Aproveitar cada momento, como deitar-me numa rede, ler um bom livro, ouvir os sons, ver as cores e saber que nada mais é importante senão os momentos que só eu posso me proporcionar...
E o que seria a maior das tragédias? Perder uma amizade (para a morte).
Quem você gostaria de ser se não fosse você mesma? Um anjo, talvez... Não presa nesse corpo que me limita a pisar apenas onde há chão...
E onde gostaria de viver? Nas montanhas de Kilimandjaro! (se é que isso existe)
Qual é sua cor favorita? Verde, vermelho... Como disse Sammyra, a cor do arco-íris!
E o seu desenho animado? Strawberry Panic
Quais são os seus escritores preferidos? Martha Medeiros, Elisa Lucinda, Clarice Lispector e Paulo Coelho.
E seus cantores e / ou grupos musicais? Yann Tiersen, Los Hermanos, Cassia Eller, Nando Reis, Ana Carolina, Cazuza...
O que te faz feliz instantaneamente? Chocolate.
Quais dons você gostaria de possuir? Todos os que não possuo.
Tem medo da morte? Ela só tem cara feia...
Quem é seu personagem de ficção favorito? Lenore! The cute little dead girl.
Qual defeito é mais fácil de perdoar? O defeito de quem agente ama
Qual é o lema de sua vida? Eu não sabia que era impossével, fui lá e fiz! Até porque quem não tem coragem de ousar, não sabe o doce da vida...
Qual sua maior extravagância? Me entregar logo no primeiro olhar.
Qual sua viagem preferida? Uma daquelas sem rumo e sem previsão de retorno.
Se pudesse salvar apenas um objeto de um incêndio, qual seria? Apenas um?? Preciso praticar o desapego! Se não eu levo meu violão, meu note, meus desenhos...
Qual é o maior amor de sua vida? A música.
Onde e quando foi mais feliz? Uma vez, quando eu era criança, me falaram que tudo o que agente quer com o coração agente consegue... Então eu descobri que era verdade...
Qual é sua ocupação favorita? Escrever
Pensa em ter filhos? Não mais
Quantos? Uma.
Um animal de estimação: Todos! Até elefante é válido...
Uma atividade física: Caminhada... Do quarto à sala, por exemplo...
Um esporte: Levantamento de garfo e copo
Um prato que sabe fazer: Eu sei ferver uma água, que ohh!!!
Uma comida que adora: Caseira, mineira... Se não, vai culunária japonesa com todo prazer!
Uma invenção tecnológica sem a qual não vive: internet
Gasta mais dinheiro com: o necessário
Uma inabilidade: Ás vezes, acho que sou autista...
O que não faria em nome da vaidade? Passaria blush
Uma mania: ligar o note assim que chego em casa.
Uma saudade: Minha infância
O primeiro beijo: Uma surpresa um tanto quanto desagradável. Ele disse: "Abra a boca e fecha os olhos". Oras, eu tinha 8 anos!

Segue os selinhos que ganhei da Iza, do Diário de Iza:

Bom, o questionáriozinho eu passo pra quem quizer pegar...Os tais viajantes da blogosfera, quem passar aqui e deixar coment!

Os selinhos eu repasso pra todos os blogs que estão likados ao meu!!

sábado, 18 de outubro de 2008

No mercy for me

Quero ir embora, e voltar a ser criança...
Viver num caleidoscópio, envolto do meu mundo fantasioso.
Não sigo as regras, não me encaixo no padrão...
Minha personalidade me irrita, e são tantas que mal posso contar!

Tenho dois msns, dois blogs, falta-me duas páginasde orkut...
O quê vêem aqui é uma parte de mim, e as outras eu não esqueço.

Sou tantas...
(e não sou ninguém)

Sou um pouco de mim
(e mais além)

Eu preciso de alguém
(eu preciso ficar sozinha)

Eu preciso trabalhar
(preciso me empenhar na faculdade)

Preciso de cores
(e dias nublados)

Preciso me entregar
(e manter os pés no chão)

Eu quero sonhar
(eu preciso viver)

Preciso tocar
(mas antes desejar)

E ser quem eu sou
(não, não posso me abrir)

Eu preciso ser alguém
(preciso me decidir)

Me encontrar
(me conformar)

Eu preciso me amar!
(Todas em mim...)
.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Ela se encantou...

...E de tanto bater, o coração parou.

O que eu posso ver...
O que posso sentir...
O que posso engolir...
O que preciso saber...?

Parou.

* * *
Ganhei uns selinhos e um prêmio lindo-e-maravilhosos:

Esse eu ganhei da Sammyra do Borboleteando:

E repasso pro blog Lugar Teu e pra Lua Sollara, do Cave de Sol e Lua.

Esses outros vieram da Manu, de Infinitas Idéias:



E Esses vão pra Lívia de Assunto de Meninas e pra Lorena do Lugar de Leveza.

E esse Oscar liiindo eu ganhei da Carol, de No Mundo da Lua:

Mas esse tem certas regrinhas...
Seguinte:


1º)Expor o selinho no blog
2º)Colocar o link de quem ganhou o selinho
3º)Escolher 10 blogs
4º)Falar porque escolheu os blogs


And the Oscar goes to:

Iza, do Diário de Iza:
Simplesmente porque em pouquissimo tempo de vida na blogosfera, já tem "skill" pra dar dicas tanto pra quem está começando agora como pra quem já está por aí há um tempo. E os textos, mesmo na pressa, são muito bem escritos!

Sammyra do Borboleteando:
Ela sabe escrever colocando cor nas palavras!

Luana Sollara, do Clave de Sol e Lua:
Porque nos textos ela coloca a essência do que é, colocando mente e coração pra falarem juntos.

Lívia, do Assunto de meninas:
Ela coloca as palavras de um jeito mágico, quase enigmático.

Paulo, do Big Ben:
Porque os textos dele dariam um ótimo livro!

Pro blog Dois Rios:
Quando eu entro lá, eu entro por inteiro.

Pra Crica, de Bota Salto Agulha:
Porque os textos tem conteúdo e inteligência.

O Profeta:
Porque suas palavras são ditadas pela alma, para que sejam lidas pela alma...

Linda Sofi, de Baseado em Fatos Reais:
Mais um blog que, na verdade, deveria ser publicado em folhas convencionais e chamado de livro!

E, finalmente, pra Tiffany, de She Cames in Color:
Porque seus textos são cinematográficos, cheios de estilo e de personalidade!

Bom, não vou linkar todos os blogs porque convenhamos, é muita coisa e eu já tenho que me arrumar pra ir trabalhar!
Ufa!

É isso aí!!!
Semana de saco cheio, no aula, mas yes trabalho!

Bjs!

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

C'est inexplicable

O beijo tinha gosto de Morango Linné
E a minha paixão por morangos começou assim, num beijo sem compromisso...
Num daqueles beijos por vontade, ou mesmo por vaidade.
Beijo que se bebe, experimenta, degusta...
Mas tinha gosto de morango com açúcar.
E era só começar que eu já não estava mais lá.

terça-feira, 30 de setembro de 2008


- Mas é só você no grupo? O.o
- Sim, professora, minha dupla trancou a faculdade. (._. )
- Como assim????? O.O
- Pois é, agora estou sozinha. =(
- Ohhh... E você tá conseguindo fazer tudo?? =/
- Mais ou menos... Acho que não vou conseguir entregar a maquete... ='(
- Aaaah mas você vai! Não deixa de fazer a maquete! Não tem história! Ò.ó

Desculpem o meu sumiço, mas esse diálogo já mostra tudo...
Estou quase que literalmente com a corda no pescoço!
Semana de prova e entregas de trabalho é fogo!
.

sábado, 20 de setembro de 2008

Uma carta de ... amor?

E quem aqui nunca teve um amor-amigo... Daqueles que não se pode mostrar ao mundo. Aquele com medo, com receio... Aquele amor puro, que só se quer bem... Que sente prazer só de saber que a pessoa existe...? Não é uma paixão pois não há a necessidade de ter. Ainda não encontrei tradução para este tipo de sensação.
Estive fuçando nas minhas coisas e achei uma carta que escrevi para alguém. Essa pessoa nunca soube, aliás... Ninguém soube.

Já que não escrevi nenhum texto completo para postar (pois é, só tenho fragmentos), resolvi compartilhar a carta com vocês:

"Eu gosto de você
Eu gosto do que você faz
Eu gosto de como você faz..."

...E você nem sabe disso...

Eu gosto do toque macio das suas mãos
Que encosta nas minhas quando me dizem tchau...
Gosto dos seus olhos quando me vêem
E da profundidade que eles representam quando lhe pergunto se está tudo ok.
Gosto da leveza da sua pele
E da roupa que a cobre, mostrando seus movimentos quase sempre inertes.
Gosto de quando se estressa
E sai chingando meio mundo, reclamando que sua vida é um lixo
Gosto de falar com você
Mesmo que na maioria das vezes eu nem saiba o que dizer
Gosto do jeito como você me deixa tímida
Ou quando seu rosto fica todo vermelho ao contar qualquer coisa
Gosto dos desenhos rabiscados na sua pele
Combina perfeitamente com seu jeito de "voar"
Gosto de quando não repara nas coisas
Mas me percebe no meio de muita gente
E vem correndo como se não nos víssemos há muito tempo
Eu gosto de te dar oi e espero ansiosa o próxmo tchau
Apenas pra sentir de novo o mais próximo que podemos estar
O mais próximo dos seus lábios que posso chegar.
E mesmo que eu não possa demonstrar
Seguro em mim a vontade tão grande que tenho de te abraçar
Ainda que eu não possa falar nada
Deixo escapar numa brincadeira qualquer os sentimentos que eu possa ter
E mesmo que eu não possa me entregar
Escrevo com um giz no asfalto de uma estrada
Ou na casca de uma árvore
Tudo o que um dia, por eu tanto me calar, alguém te dirá...
E você responderá.


domingo, 14 de setembro de 2008

É segredo, é sagrado...

Ontem eu fiquei de postar algo no blog, mas por fim acabei deixando pra hoje, vou aproveitar enquanto tenho meu final de semana livre pra fazer coisas quando nos dias de semana não bastam... Como escrever no blog e fazer trabalhos de faculdade... Oh, e nem me fala em faculdade. Estou perdida...
Mas finalmente, como eu havia previsto, sim... Uma nova fase!
Surpresas que vêm de todos os lados, me confundindo e me segurando para não cair...
Confesso que ando meio perdida, sem saber ao certo o que eu quero para mim.
Ora, eu não sou assim exigente. Eu não quero livros ordenados em ordem alfabética nem fotografias datadas ou poesias rimadas num armário sem pó. Quero, sim, mantas puídas, travesseiros suados, a saia rodada ou o jeans velho... Os all stars sujos e as meias jogadas pelos cantos do quarto.
Talvez eu queira mesmo o ar levando a fumaça densa do incenso, e a solidão que traz os tons de Tiersen... As despedidas e o portão se fechando para o amor ali fora, talvez as portas de aço se abrindo para o meu trabalho.
Quem sabe tudo isso junto?
O que quero é segredo até mesmo pra mim...
Ainda quero aquele amor tranquilo... Ainda quero me deitar com a certeza de que nenhuma dor mais me incomodará, e pra ser sincera eu vejo isso chegando até mim nas mãos de alguém que eu jamais imaginei quem...
Percebi, as coisas espontâneas me comovem mais do que aquelas criadas com a intenção de comover.
E por falar em comoção, recebi vários selinhos, e vou aproveitar pra postá-los já!

Esse recebi da Lívia, de Assunto de Meninas:


Esse recebi da Carol, de No mundo da Lua:

E, por fim, esses dois da Sammyra, de borboleteando:


E repasso os selinhos, de todo o meu coração, pra quem quizer, na minha lista de blogs!

Bjs!!

sábado, 6 de setembro de 2008

Hoje eu tô sozinha

Posso dormir, talvez sonhar...
.

Pingos de chuva descansando sobre as folhas amareladas das árvores que fecham o jardim para o mundo lá fora.
O amarelo que cerca por debaixo do cinza que cobre o céu, o beijo fixado num momento que já passou e ali ficou.
O som dos trovões batendo e voltando, ecoa por entre os galhos dessa floresta, amedronta e nina as pessoas que abrem os olhos observando a noite, com medo de sonhar...
No fundo de um rio o mistério e o vazio das marcas pisadas de quem não tira jamais os pés do chão...
Na minha boca o gosto insuportável da fome nas madrugadas.
A noite corre, insone.
A água, a noite e eu.
* * *

Bom, vou aproveitando esse post pra colocar um selinho que eu ganhei da Iza, Doário de Iza... Coisa mais linda ela me chamando de "minha folósofa"!!! Já falei, quase tenho um treco quando ela me chama assim! hauahuahuah


O selinho é esse:








Muy fashion!
Repasso o selinho, com o maior prazer, pra:

~ Sofi, do My Little World
~ Sammyra, do Borboleteando
~ Livia, do Assunto de meninas
~ Carol, do No mundo da Lua
~ Lua Sollara, do Clave de sol e lua

.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Corre a lua, porque longe vai?...

E então as coisas foram acontecendo, assim, uma coisa atrás da outra, sem parar.
O mundo girando e eu, em passos largos e ocupados, passando pela estrada de ferro, fogo, gelo, brasa, ou até mesmo em grama verde.

"Cuidado com o que desejas"

Foi a primeira frase que me veio à cabeça depois de uma semana de trabalho.
Lembrei-me de um desejo que eu havia feito há pouco. Pedi que os dias passasem depressa, para que parecesse indolor qualquer pensamento ou sentimento. E passou. Passou tão rápido que hoje, sexta, me parece ainda segunda-feira. Minha rotina agora não me deixa sequer parar para respirar.

"Quero ir embora. Vou dormir a noite toda num prazer quase indecente", ouvi.

Porque noites inteiras dormidas já não faz parte do meu dia-a-dia. Não estou me queixando. É gostoso ver o nascer do sol todos os dias, e contemplar as estrelas enquanto temos um tempinho de intervalo.
Pra ser sincera, estou gostando.
De não ver o tempo passar, de conseguir deixar certas coisas pra trás. Eu gostaria, mesmo, é de sair um pouco do meu corpo e observar tudo acontecer, como se não fosse comigo. Como se eu não fosse eu.
Hoje experimentei não ir pra faculdade e ficar em casa, sentir um pouco de mim mesma. Ainda pareço morna... Estou esfriando. Ainda chego lá... Não é fácil se doar, e depois ter que se resgatar.

Enfim!
Recebi um meme!!
Oh, há quanto tempo eu não recebia algum... Estava até sentindo falta... Recebi da borboletinha Sammyra, lá vai:

1. Sete coisas que faço bem:
- Me expressar, em palavras, expressões e desenhos...
- Sonhar
- Fazer alguém sorrir
- Conversar
- Ouvir
- Trabalhar

2. Sete coisas que não faço e não sei fazer:
- Compor músicas (bem que eu gostaria)
- Tocar todos os intrumentos imagináveis
- Ser materialista
- Me impor limites
- Não me importar
- Regime!

3. Sete coisas que me atraem no sexo oposto:
- O jeito de conversar
- O olhar
- O sorriso
- Bom humor
- Inteligencia
- Determinação
- Personalidade

4. Sete coisas que não suporto no sexo oposto:
- Ego maior que si
- Inconstância
- Indecisão
- Medo
- Mal humor
- Que seja realista demais
- E materialista também.

5. Sete coisas que digo com freqüência:
- Relaxa...
- Observe eu (tentando) não me importar
- E aí, broto?
- Ah tah
- Então tá então
- Barta, voa noite, oular...(dicionário interno =P)
- As idéia!

6. Sete atores/atrizes que eu gosto:
- Tony Ramos
- Angelina Jolie
- Sanda Bullock
- Woopy Goldberg
- Johnny Depp
- Meg Ryan
- Daniel de Oliveira

7. Sete atores/atrizes que eu detesto:
- ... ah, não detesto ninguém! =/

8. Sete filmes que eu detestei:
- O exorcismo de Emely Rose
- V, de vingança
- Senhor do anéis (nada muito contra, mas eu durmo assistindo)
- A Vila
- Anaconda
- Moulin Rouge
- Eu, cristiane F. (o livro é ótimo, mas o filme...)

9. Sete filmes que eu adoro:
- Antes que termine o dia
- O fabuloso destino de Amelie Poulain
- Diário de uma paixão
- Se eu fosse você
- Amor além da vida
- A fonte da vida
- Cidade doa Anjos

10. Sete livros favoritos:
- Escrito nas estrelas
- Eu, Christiane F.
- A interpretação dos sonhos (Freud)
- Um bom dia para nascer
- Nas margens do rio Pietra...
- Pilares da terra
- Um longo caminho para casa

12. Sete constatações inúteis:
- Dê tempo ao tempo
- No final, tudo dá certo. Se não deu, é pq ainda não acabou...
- Tá calor demais!!!
- Não sei se sinto saudades ou vontades...
- Quero controlar o tempo
- Jana acabou de chegar e quer comer meu pão-de-mel!
- E agora eu tenho que ir.

13. Sete pessoas que desafio a responder às perguntas acima:

- Bem, eu não sei quem gosta de memes, então esteja a vontade, quem estiver na minha lista de blogs, ou quem comentar aqui, pra pegar o meme! ^^
.

domingo, 31 de agosto de 2008

Virando a noite, derretendo satélites...

E se eu quiser apenas conversar?
Falar... prosear... sei lá.
E colocar aqui teorias que aprendi hoje, com um pedaço de ontem e minha visão sobre amanhã...

Amanhã, alias, é meu primeiro dia de trabalho, o que tomará mais da metade do tempo que ainda tenho...
Posso dizer que estou ansiosa e receosa...
E se eu errar, e se não der certo?
Mesmo que nossos erros sejam as únicas coisas originais que fazemos, eu tenho medo.
Vou ter que lidar com pessoas e exercitar de um jeito bem rude o meu inglês. Indianos.
Experiência, eu diria, mas diria Oscar Wilde, experiência é simplesmente o nome que os homens dão aos seus erros. Seria outra teoria, não a minha.
Vou trabalhar enquanto a cidade dorme.
Enquanto uns se perdem, e outros se encontram...
Vou trabalhar com meu notebook do lado, e as frases que me vierem no disfarce de qualquer tédio, vou anotar.

A literatura é de fato uma forma de sonhar.
Se todos lá fora, em suas camas sonham, sonharei, acordada,os meus próprios sonhos.
Tenho em mim um ser, um espírito que só se revela a noite.
E é este que escreve, se descreve, que vomita o que sente, que anoitece, amanhece, aparece, desaparece.
E este estará ainda mais desperto, com sua essência à flor da minha pele.
Não o prenderei, como nunca o fiz, até mesmo porque não o conseguirei, mas estarei duas: eu, de pés cravados no chão e aquela outra parte de mim, tão longe quanto a lua que de lá poderei ver.

Espero enfim, que minha intuição neste caso esteja certa.
Uma nova fase, como uma criança, está para nascer.
Lua nova.
E por falar em Lua...

Descobri uma eclipse solar acontecendo por perto. Sol e lua unidos numa coisa só, olhando pra mim, mas distantes como tal... E isso mexe tanto com os meus sentidos... Ao mesmo tempo que odeio, eu amo isso.
.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

.
Vai começar a correria.

Não que eu não queria... Tá, eu não queria.
.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Don't You Forget

Levantei meus olhos ao senhor que me estendia um cajado, e lhe ouvi com atenção:

- Toma com a tua mão direita este cajado para que não pereças, não obstante, continue. E com a mão esquerda beba até o último goledo cálice que de tempos em tempos lhe darei.
E se tiver de tropeçar, tropeçe.
Se tiver de cair, caia.
Se tiver de se machucar, machuque-se.
Porém eu lhe digo, decidida a tua volta, você voltará, e não será tu quem decidirá.
Haverá de se lembrar de mim, e desejarás felicidade eterna, porém não a encontrará.
Desejará amor eterno, e se esquecerá de que este já lhe foi dado de presente, e o chamará de "mãe".
Conhecerá a si mesma. E se surpreenderá com suas próprias mudanças ao longo do caminho.
Conhecerá ainda pessoas que lhe farão diferença. E logo depois despedir-se-á. E doerá.
Terá dentro de si não apenas uma, mas várias almas em busca de um único tesouro.
E, em vida, não o encontrará.
Uma mente que pondera terá, e ela por vezes falhará.
Porém um coração terá, e por ele então você poderá olhar.
Será o teu terceiro olho. A chave de um novo mundo, e este será apenas seu.
Terá ali um Éden, e à ele correrá ao sentires medo.
Será preciso aceitar que és especial.
Mas que não és a única.
Conhecerá outros Édens, Shangrilás
Fontes, nascentes, e muita coisa bela verá...
E fascinada, encantada ficará e de lá não vai mais querer sair
Mas te digo uma vez, e disso te lembrará:
Sempre terá que voltar a ti
A tua própria essência
Ao teu caminho, e a ti darei um dom, que no percurso descobrirá...
Cabe a ti saber usar.
No final, você verá...
Você será a única com quem poderá contar.
E, depois, será seu tempo de regressar.

Senti meu corpo sendo puxado de maneira rude, e ardeu em mim um único tapa que abriu meus pulmões e me fez, enfim, acordar.
.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

.
Eu quero a sorte de um amor tranquilo...


...com sabor de fruta mordida.

.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Conflitos existenciais...

...Era o problema do Paulo Cézar. PC, pros mais íntimos. Finalmente meu PCzinho querido chegou do hospital... Médico disse que era problema de cabeça, muita informação pra cabecinha dele e ele acabou pirando, entrando em crise existencial. É. Teve então umas seções com o psicólogo logal e ficou melhorzinho... O médico dessa vez disse pra eu tratá-lo bem, e não forçar a fazer o que não quer... Sabe como é... Adolescente é fogo! Eu cheguei a desconfiar que ele andava no caminho obscuro das drogas, fumando maconha ou sei lá o que, pois percebi aos poucos quão lerdo ele estava pra raciocinar certas coisas...
Enfim. Aconteceu que no meio de uma discussão lhe faltou argumentos e ficou lá, pensando, pensando, pensando... E não tinha muito o que me falar... Falei pra ele ir dormir imediatamente, o que deveras causou um trauma psicológico tão grande que ele não quis mais acordar. Foi pro hospital.

Mas ainda bem que não era nada muito grave e agora ele está aqui comigo. Meio zonzo ainda... Mas está vivo! É isso que importa.

Bem, nesse tempo que eu fiquei sem postar algumas coisas aconteceram. Usei o método tradicional para escrever: papel e caneta... Mas são águas passadas e quem sabe um dia eu venho a postar o que já escrevi. Como uma pessoa do signo de ar, que vai e volta, diz e desdiz, é muito provável que eu venha a postar realmente o que já foi escrito e - por hora - esquecido.

Muito confusa. Eu. Muito confusa.
Tal qual Paulo Cézar.
Coisa de família.

O mais legal é que mesmo no meio do nada eu não fui esquecida! Ganhei esse selinho do Infinitas Idéias, que repasso pra quem vier aqui tocar comigo e, o acorde, dessa vez, você escolhe! ;)

Beijos e uma ótima semana!

sábado, 9 de agosto de 2008

Por enquanto

Estou sem pc!

Sem pc, sem postar, sem visitar os blogs que eu tanto gosto... ah, meu vicio não está sendo devidamente alimentado, mas estou fazendo o possível pra arrumar minha "cagada" (é, fui eu q destroçei o meu pc) e voltar a ativa logo logo!



Vou aproveitar esse post pra colocar aqui um selinho lindo-e-maravilhoso que ganhei da Iza:



O selinho já diz tudo!!!
Mando o selinho pra todos os blogs da minha lista! Por serem muito bons, acredito que são merecedores desse título!


Bom, me desculpem não estar visitando os blogs e deixando comentários... Além de sem pc, estou sem tempo!!

Mas é só por enquanto... ;)


Bjos!!

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

A vida não pára...


Coragem pra seguir
Assim é a vida, cheia de mistérios
E segredos que por vezes não podem ser revelados
Cheia de porquês...
Tem gente que não se conforma...
Tem gente que olha e diz "é... fazer o quê?"
Tem gente que busca...
E consegue forças de onde jamais imaginaria ter.
A vida nos exige coragem
E nos prepara passo a passo...
Para o que virá a seguir.

sábado, 2 de agosto de 2008

All we are is dust in the wind...

Há alguns anos eu conheci uma menina que de certa forma me intrigou. Ela era tímida e quase não falava, mas guardava em seu coração milhares de sentimentos que aflorava em seus olhos. Antes de conhecê-la eu havia me guardado, e me escondia de qualquer realidade que não fosse a que os olhos pudessem ver e as mãos pudessem tocar.
Ela me fez lembrar que a alma enxerga muito mais que os olhos, acordou em mim o que até então estava dormindo, então como "agradecimento" eu prometi estar sempre ao lado, e dei a minha palavra de que eu nunca a deixaria cair.
No começo dessa jornada, logo no início, assim que ela me fez perceber tais coisas, eu me lembro de tê-la escrito algumas cartas, todas ditadas pelo meu coração. Cartas que eu escrevia a fim de ajudá-la, assim como ela me ajudava (mesmo sem saber). Tenho essas cartas digitadas no meu computador e resolvi lê-las, para relembrar os meus pontos de vista. E surpreendi-me ao perceber que essas cartas hoje servem pra mim, assim como deve servir pra muita gente por aí.
Não falei com ela sobre postar essa carta aqui no blog, por isso não colocarei o nome, mas tenho certeza que ela não vai se importar (assim espero! =P). Bom, sem mais enrolação pro post não ficar muito longo, lá vai:

Existem tantas coisas a serem notadas, coisas que não são tão pequenas, mas são suficientemente grandes para serem percebidas.
O mundo tem seus encantos, o mundo tem suas vidas.
Nele podemos perceber grandes virtudes em cima de pequenos sonhos.
Ou grandes sonhos por conta de pequenas virtudes.
Em tudo podemos ver caminhos, em tudo há o que se segurar.
Em cada atalho um tempo a mais ganho, mas uma lição a mais
sendo perdida.
Nem tudo é o que pensamos ser... E em suas mãos está o poder.
Poder dizer, poder ouvir, poder entender, poder conversar, poder sentir!
Poder doar... Poder receber...
Muitas vezes acabamos perdendo noção do tempo e por isso esquecemos muitas coisas e entregamo-nos ao anseio. Muitas vezes coisas acontecem que nos deixam um tanto frustrados, mas logo vem o alívio e a certeza de que tudo continua e que não há mesmo tempo a ser perdido.
Apenas se continuarmos nosso caminho é que poderemos chegar ao sonho escolhido.
Não é preciso tanto esforço para que entendamos as nossas vontades.
Apenas acontece.
Nada deixa de acontecer quando tem que ser.
Dê sua mão a quem a pede, vá de encontro com quem te chama...
Há tantos corações em volta do seu, e isso te dá forças...
Segure-os bem firme, e deixe que eles te mostrem quem você é...
Deixe-os livres pra te amar.
Deixe-os te guiar...

...Camila R.F"

É como eu costumava dizer:
O que há de mais real é tudo aquilo que não podemos ver.
Não há julgamento em cima de decisões tomadas pelo coração.
A liberdade provém de si.
E o maior risco que nós corremos na vida é o de não se arriscar.

...Afinal, todos nós somos apenas poeira ao vento...

terça-feira, 29 de julho de 2008

Eu sou um poeta...

E não aprendi a amar.

Um dia o meu dia chega!
Olho pra frente pra ver o que me aguarda
E espero que qualquer lágrima seja recompensada
Com o raiar de um novo sol...

Pedaços largados de solidão
Me fazem abrir mão de um desejo
Espaços vazios de sensação
Tiram o gosto da fruta mordida
Esperanças desconexas
É o vazio esvaziando os rios
Que desaguou numa história
Tão efêmera quanto uma rosa
Assim, bonita como uma rosa
Mas tão cheia de espinhos também...

sábado, 26 de julho de 2008

Me dá a sua palavra, e acalmo a minha pressa...

Descobri que uma das maiores vantagens de ser ter um blog não é a do desabafo ao jogar palavras que vêm enroscando a garganta, nem o fato de ser reconhecida pela forma como as escreve, mas é ter o retorno confortante de algumas pessoas que por vezes agente mal conhece, mas cada uma delas, ao comentar, chega com uma luz, um encontro entre corações, uma conversa rápida de algumas linhas, mas definitivamente essencial!

Quero agradecer a todos que vem comentando nesse blog, e confessar o quão especial cada um é pra mim!

Aproveitando esse caminho, eu ganhei um selinho da Livia, do Assunto de Meninas. Este selo tem o intuito de parabenizar os blogs que possuem o objetivo de maior informar sem nenhuma amarra seus leitores, aqueles que prezam pela informação livre, sem preconceitos, com todos os pontos de vista, enfim, que buscam o esclarecimento.


E já que este post é em agradecimento aos comentários, eu mando essse selinho pra quem comentar aqui!

Bjoss!

quarta-feira, 23 de julho de 2008

SOS solidão...

E por falar em solidão, eu estive só...
Sóbrea.
Nenhuma gota de alcool me cabia na boca.
E eu não queria. Não queria.
O incenso que ascendia sumia em cinzas, deixando no ar um pouco do cheiro que de certa forma traduzia meu vão desejo.
Ninguém era capaz de tomar a minha mão e me levar para um lugar mais bonito, mais alto quem sabe...
Bem, no alto eu já andava, e do alto eu olhava. Voar eu adorava!... Mas só.
Só.
Andando de um lado ao outro da sala procurando desculpas esfarrapadas para tomar a menor das atitudes.
Só.
E, só, eu me olhava no espelho para tentar adivinhar quão só eu estava. Procurando nos meus olhos o brilho de uma presença, mas encontrava em mim o encanto de uma estrela que me acompanhava durante as noites mal dormidas, me pedindo calma e prometendo-me abrigo num sorriso infinito...
Ao meu lado o vento que me soprava a direção, na minha frente a estrada e logo ali atras os meus passos no chão.
Pela delicadeza de uma história de amor eu sobrevivia, e a força que me trazia até aqui vinha com a mesma intensidade de um pedido de perdão.

Bem... Talvez eu ainda esteja só, talvez não...
Sei que no mínimo o meu jardim está florindo, que exalo de mim um convite, um pedido, uma dádiva, um dom... Um sonho, enfim.

sábado, 19 de julho de 2008

Á ela, a cena onde possa brilhar!....

* FELIZ ANIVERSÁRIO *


Parabéns pra ela, nesta data querida!
Pra ela que guarda o mais puro dos tesouros dentro de si!
Tesouro este que brilha aos olhos de quem a vê...
Parabéns a ela, que carrega em si o mais confortável dos corações...
Tão quentinho, tão seguro, fofinho...
Parabéns a ela, por existir!
E para ela o sonho, a verdade, o sorriso, a música, as gotas de chuva a acalmar o dia
Os abraços mais sinceros, os amores mais belos...
E à ela, um primeiro "feliz aniversário" pelo celular!!! (interninha)

huhuhuhu

PARABÉNS KUCHA!!!
TE AMO!!!


* * *

Bom...
Depois de deixar essa consideraçãozinha pra Aieska, vamos ao post pendente!
Recebi alguns selinhos da Sammyra e outros da Iza!

Da Borboletinha:


Da Iza:
Bom, aí está uma lista de selinhos que eu recebi e tenho que mandar pra alguém.
Desculpem não estar listando blogs mais específicos, mas como comentou a Iza no post dela, sempre bate uma vergoinha de mandar selos pra quem não gosta e coisa e tal... Então, vou fazer assim, vou mandar pra todos os blogs linkados ao meu! Principalmente porque se eles estão linkados é porque eu os considero muito bons e adoro caminhar por lá, e todos merecem!

Bjs!!!

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Doce coragem pra chegar no fim

Não sei o que vai ser de mim amanhã
Carrego na frente o meu próprio coração
Com a consciencia de poder me machucar - mais uma vez
Mas assim eu vou
Porque se assim não for
Assim não sou!

Quando se tem um desejo brilhando aos olhos
A lingua sente o prazer da fruta mais doce
Das mãos suam florais de pétalas de rosas
E é possível, enfim, ver o amanhecer de um novo dia...

domingo, 13 de julho de 2008

Como um Pierrot


Eu ando pelo mundo
Prestando atenção
Em cores que eu não sei o nome

Cores de Almodovar, cores de Frida Kahlo, cores...


Passeio pelo escuro...

Eu presto muita atenção no que meu irmão ouve

E como uma segunda pele, um calo, uma casca...
Uma cápsula protetora!

Eu quero chegar antes

Pra sinalizar o estar de cada coisa

Filtrar seus graus
.

Eu ando pelo mundo divertindo gente

(Chorando ao telefone...)

E vendo doer a fome

Dos meninos que têm fome...

Pela janela do quarto

Pela janela do carro
Pela tela, Pela janela
Quem é ela, quem é ela?

Eu vejo tudo enquadrado
Remoto controle.

Eu ando pelo mundo

E os automóveis correm para quê?

E as crianças, pra onde correm?

Transito
entre dois lados...

De um lado, eu gosto de opostos

Exponho o meu modo, me mostro

Eu canto para quem?

Eu ando pelo mundo e meus amigos, cadê?
Minha alegria, meu cansaço?

Meu amor, cadê você?

Eu acordei, não tem ninguém ao lado...

(Esquadros - Los Hermanos)

segunda-feira, 7 de julho de 2008

A epiderme da alma

Não percamos, jamais, a inocência. Não percamos a esperança e a simplicidade!
Não nos esqueçamos que do pó viemos... E do pó veio a àrvore, as borboletas, os dinossauros e as algas marinhas... Não nos esqueçamos que o corpo é frágil, mas a alma é imortal. Que o corpo é limitado e a alma enxerga de todos os lados... Não deixamos que a epiderme da alma a impeça de sentir, ver e ouvir...
Não percamos, em nós, o nosso próprio coração... Não deixemos nos levar pelo dia-a-dia, a rotina, a mesmice, o conforto, o costume...

Eu estava conversando com uma grande amiga minha, pelo msn, e contei do sonho que tive, e a conclusão que eu mesma tirei, e resolvi colocar aqui para compartilhar dessa filosofia com vocês:

Meu sonho:
"No meu sonho eu vi medo e chôro... Montanhas e um rubi que, visto dos olhos de quem vê, ficava na frente do sol, que por sua vez, ficava atrás das montanhas... E passo a passo essa pessoa ia andando olhando pro chão, vendo nascer flores no asfalto que nasciam e cresciam assim, do completo nada, regadas pelas lágrimas que lhe caíam dos olhos. E as lágrimas não paravam, por mais que ela quizesse... Mas nem as flores ela queria..."

Minha interpretação:
"Tem gente que está andando muito com o pé no chão. Tanto que me irritam! Como se o mundo sentimental e espiritual estivesse parando... E não se lembram que nem sempre foram assim! Então eles não dão mais valor ao que é real de verdade, e não vêem mais do que aquilo que está ao seu alcance ver. E por vontade própria fecham os próprios olhos, e eu sinto muito quando isso acontece. Com qualquer pessoa, conhecida ou não. Todo mundo tem o direito de saber o que está vivenciando real e totalmente... E quando se fecham, é uma perca... Uma perca de um tamanho sem medidas! A pessoa pára de viver e vira uma máquina de sofrer. Sofrer no stress. Sofrer na prisão de um cotidiano insípido. Sofrer por amor. Sofrer por saudade... E se prende! Porque quando uma pessoa tem noção das coisas realmente importantes, mesmo que no subconsciente, ela aprende a sentir dor sem sofrer. O coração dói quando é inevitável, mas a pessoa não pára de viver por causa disso. Mas se ela se fecha... Se ela se fecha... O coração dói e ela já não consegue mais pensar em outra coisa."

E infelizmente isso acontece muito...

sábado, 5 de julho de 2008

Meme selaram! =P

Mais um meme e um selinho lindo da minha Borboletinha preferida!

selo:


* * *

Quanto ao meme, tem tudo a ver comigo!!!
O meme consiste em escolher a banda/cantor preferido e responder as questões com o título das músicas. Depois passar pra 5 outros blogs.
Antes de qualquer coisa, já vou indicando pra quem vai o selo/meme:

1- Vitor, do Versão Vida
2- Izaaa, do Diário de Iza (ela deve estar cansada de receber selos e memes, e derivados...rs)
3- Livia, do Assunto de Meninas

As duas ultimas indicações são pra duas iniciantes na blogosfera, mas pelo que já demonstraram, têm talento de sobra pro sucesso! Se não quizerem o selo/meme, que recebam o meu carinho =)

4- Nata, do Retalhos Ululantes
5- Lua Sollara, do Clave de Sol e Lua

Enfim, lá vamos nós...

meme:


1- banda/artista: Nando Reis

2- Responder somente com os títulos das canções:


1* descreva-se: Fogo e Paixão

2 * o que as pessoas acham de você: Monóico

3 * descreva seu último relacionamento: Fiz O Que Pude

4 * descreva a atual relação: Do Seu Lado

5 * onde queria estar agora: Aonde Você Mora

6 * o que você pensa sobre o amor: Um Simples Abraço

7 * como é sua vida: Dias Loucos

8 * se tivesse direito a apenas um desejo: Eu e a Felicidade

9 * uma frase sábia: Frases Mais Azuis

10 * uma frase para os próximos...: Você Pediu e Eu Já Vou Daqui


...Fui!...

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Aqui, sem ter bem pra onde ir...

Parou.
Tudo parou.
O trem parou.
O barco parou.
A rua acabou.

Pela sombra desta árvore que parada me acompanha, esperava pela brisa, que me poderia trazer um pouco de você. Apenas o perfume ou um beijo carregado pelo vento... Alma gêmea, que me sorri do outro lado do rio. Alma minha, que de minha nada tinha, me apontava sete chaves e, dessas sete, jurava fazer-se uma. Mas que alma era esta que de longe me encantava?

...E então eu parei...
No rodamoinho eu parei.
Na linha da vida eu parei.
Na lágrima perdida eu parei.
Petrifiquei.

Da árvore me caiu em mãos a tua maçã. Pela tentação, curiosa te provei, fraca, culpada, confesso, viciei... E eu a olhava de volta, sem ter bem pra onde ir... Encantada pelo seu canto, encantada pelo seu pranto... Distante me via em ti. Bastou então uma mordida e te vi de perto, sua face na minha, sua respiração na minha. Aqui, diante de todos os lugares, parecia o melhor lugar.

Antes eu tivesse arriscado
Antes eu tivesse nem pensado!
Antes eu tivesse te encontrado
Antes eu tivesse me encontrado!

E, lamentando, se foi... Afastou suas mãos, se negou, me roubou, se tomou. Vi em seus olhos os meus. Vi como no disfarce de um sorriso, vi sem máscaras o motivo. Em passos lentos foi sumindo, devagar, devagar... Sem querer acreditar me neguei a olhar, mas no campo aberto nada mais me encantava. Era apenas a árvore, a maçã, tua alma, e o rio que nos separava...

Agora a vagar
De um lado para o outro de volta àquele lugar
Observo daqui, sem armas pra lutar
Disposta a apenas com os olhos acompanhar
A esperar...
E amar...
E amar...

segunda-feira, 30 de junho de 2008

E lá vamos nós de novo...

Gente, esse post é exclusivo pra a uns memes recebidos da Iza, do Diário de Iza! Eu gostei da brincadeira então resolvi entrar no ritmo...

Primeiramente um meme de vídeos. Mostrar 3 vídeos que gostamos. Escolhi os três e segue o motivo de eles terem entrado na lista:

1º Return To Innocence - Enigma

A letra dessa música é maravilhosa, e o vídeo passa a idéia de retorno, de recuo...
Até porque, ás vezes, pra avançar é preciso recuar...

"Apenas olhe para o seu coração, e retornarás a si mesmo... Se você quizer, começe a rir, se você precisar, começe a chorar... Não se importe com o que as pessoas digam, apenas siga o seu caminho... Não se entregue... Não é o começo do fim, mas o retorno à inocência."



2º Saudade - Pimentas do Reino

Essa música já é mais digamos... Sentimentalóide. rs...
Mas atire a primeira pedra quem nunca sentiu saudades de ninguém!

"Você inspira poesia... E o tempo não passa..."



3º A arte das sombras com as mãos

Esse vídeo é fantástico! O título já diz tudo... Me apaixonei assim que vi.
Sem música, sem história... Mas é um verdadeiro show.




E tem também o meme do livro. As regras do Meme são:

1. Pegar o livro mais próximo com mais de 161 páginas.
2. Abrir o livro na pagina 161
3.
Na referida pagina procurar a 5ª frase completa
4.
Transcrever para seu blog, na íntegra, a frase encontrada
5. Passar o desafio pra outros 5 blogs.


Então lá vai...
Peguei o livro "O amor venceu" de Zibia Gasparetto.
A frase inteira é:

"Primeiro, desejo ouvir do sumo sacerdote, as condições que combinamo para realizar o nosso acordo"

Fooora esses memes, ainda tem um premiozinho lindo "Blog Amigo":




Bem, é isso...
Os memes e o prêmio eu passo pros seguintes blogs:

Lorena, do Lugar de Leveza
Sammyra, do Borboleteando
e pra Livia, do Assunto de Meninas

Bjos!!

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Quanto tempo eu tenho pra passar o tempo?


Dizem que o tempo perdido não volta mais, não obstante não consigo acreditar que ele seria capaz de me largar dessa maneira depois de tudo o que vivemos!
E ele vai correndo, nem olha pra trás, esbarra seus ponteiros nas minhas pernas e me passa uma rasteira que quando eu vou ver, pronto, ele já passou e eu nem vi!
Infelizmente vou aprendendo que quem tem tempo, tem tudo! Vou sentindo saudades da minha infância, de quando eu era criança e quando comentava com meu pai que eu queria ser adulta e ele rindo me dizia: "Não, filha, aproveita bem a sua infância! Aproveita o que puder, que depois você vai sentir saudades..."
E eu aproveitei! Não guardei o conselho, mas o coloquei em prática no minuto seguinte... Lembro-me exatamente, subindo a ladeira que dava pra rua, de pés descalços, aproveitando cada minuto daquele céu da tarde, me recebendo de braços abertos... E eu passava a tarde toda brincando, esfolando o dedão do pé no asfalto, correndo do cachorro da vizinha, subindo nas árvores mais gordas, me escondendo pra não ter que procurar depois... E à noite todos se reuniam e fazíamos uma fogueira daquelas de São João, e nem precisava estar na época... E ficávamos lá, esperando a batata na brasa ficar pronta pra comermos com manteiga e sal...
Depois disso, cada um ia pra sua casa e eu aproveitava para "descansar"... Subia no telhado de casa e ficava lá em cima olhando as luzes da cidade, observando as estrelas brilhando lá no céu, a lua... E imaginava o que tinha lá, como funcionavam as coisas, e como Deus era engenhoso, de fazer tantas coisas bonitas... Me imaginava lá. Lá na lua... Lá em Marte... Em Vênus... Em Mercúrio, e o calor que provavelmente eu sentiria por lá... E filosofava sobre o tamanho das pessoas diante de todo aquele infinito...
Eu tenho saudades daquele tempo! Vejo no espelho as marcas que ele me deixou, sinto no dia-a-dia o tanto que ele já me ensinou...
E quem nunca quis voltar no tempo que atire um minuto pela janela! Tendo consciência de que, em um mísero minuto, ahh... Tudo pode acontecer!
O tempo, naquela época, me parecia mais amigável... Agora ele fica aí, fazendo pirraça, não quer nem olhar na minha cara, não quer passar um minuto comigo! E eu juro que não sei o que eu fiz de errado...
O tempo que foi não volta mais... Então corro atras do tempo que ainda tenho... Com ele ao meu lado, a vida fica muito mais fácil! Sei que ele não pára, como eu, nem para bater um papinho sequer, mas eu não perco as esperanças de, quem sabe em um momento como este, ter ele todinho só pra mim...
Sei que é dificil, mas quando o consigo, hoje, topo qualquer coisa para não simplesmente deixá-lo passar... Assim não o terei perdido, porém eternizado.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Quando de repente...

...Um prêmio!



Ganhei este prêmio de uma borboletinha que vive zigue-zagueando por aí...
É um troféu liiindo, premiando a criatividade, design e conteúdo do blog... Homenageando o blog que tenha contribuído para a comunidade blogueira, independente do idioma. Partindo disto, devo indicá-lo para 5 blogs que se encaixem neste perfil.

E o Troféu vai para...:

Iza, do Diário de Iza
Cara Estranho, do Eu hein!
Vitor, do Versão Vida
Tinne, do A Imperatriz
e Paulo, do Dialogando

Espero que gostem... =D

Bjs!!

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Gemidos de dor e alegria...

Há tantas e tantas noites venho rasgando meus lençóis, atravessando o travesseiro e jurando silêncio aos meus medos, desejos e anseios...
Sem saber ao certo o que me aguarda o dia de amanhã, se o sol atravessará novamente a janela ou se o choro aconchegante da chuva saudará o novo dia...
Apego-me à vontade de sonhar, fechar os olhos e nos meus sonhos me refazer, reviver, renascer talvez mais jovem, ou alguns anos mais experiente... Talvez num universo paralelo sentir o gosto de poder ser, poder ter, poder viver, e alcançar enfim o poder...
Reflexos da memória me trazem à tona dias em que o limite era apenas o começo, e o final era eu quem fazia... Dias em que eu enfrentava a minha própria alma e acreditava, sobretudo, que a força do coração era a que prevalecia.
Ah, e que dias foram aqueles?
Sem medo, sem receio, sem mala nas costas, sem feridas, sem cicatrizes... O dia em que amei pela primeira vez. E de novo, pela primeira vez... E mais uma vez, amei, pela primeira vez...
Eu já não tenho dedos para contar por quantas vezes me apaixonei e, tantas dessas vezes, pela mesma pessoa... Já não tenho memória pra dizer quantas destas eu desisti de seguir, e quais as vezes prossegui... Mas lembro-me de cada amor que vivi, por ser cada um deles, a minha primeira vez...
Trago em mim lembrança de paixões avassaladoras, de desastres emocionais e de glórias sentimentais...
Fiz-me rainha, fiz-me rei... Eu fui, eu voltei, eu vi, eu enxerguei... Com a força do meu corpo, segurei fardos pelos ombros, com a leveza do meu olhar, conquistei espaços num Éden secreto... Eu chorei, eu sorri, eu me ajoelhei, eu pedi, eu segui e recebi... Teve tempos que perdoei, tempos que ofereci... E aqueles dias que em estátua vivi, e pedra eu comi... Cruzei a terra, escalei montanhas, enfrentei desertos, escapei da morte, provei minha sorte... Enchi lugares de luz, enxerguei o tesouro, cobri-me de ouro, ofereci diamantes, rejeitei amantes... E amei de novo...
Sem descobrir se é vantagem ou desvantagem amar tantas vezes pela primeira vez, vou sentindo à flor da pele cada toque de um olhar, como se o nunca tivesse recebido... Vou arrepiando-me a cada sílaba sussurrada e confundindo-me em meus sentimentos, como se nunca os tivesse sentido...
E num silêncio como este vou despejando um pouco do meu mel... Vou jogando, como se jogam os dados, as palavras, para que de alguma forma eu desvende um pouco do mistério que me segura noite após noite, em gemidos de dor e de alegria por desejos, medos e anseios...