sábado, 2 de agosto de 2008

All we are is dust in the wind...

Há alguns anos eu conheci uma menina que de certa forma me intrigou. Ela era tímida e quase não falava, mas guardava em seu coração milhares de sentimentos que aflorava em seus olhos. Antes de conhecê-la eu havia me guardado, e me escondia de qualquer realidade que não fosse a que os olhos pudessem ver e as mãos pudessem tocar.
Ela me fez lembrar que a alma enxerga muito mais que os olhos, acordou em mim o que até então estava dormindo, então como "agradecimento" eu prometi estar sempre ao lado, e dei a minha palavra de que eu nunca a deixaria cair.
No começo dessa jornada, logo no início, assim que ela me fez perceber tais coisas, eu me lembro de tê-la escrito algumas cartas, todas ditadas pelo meu coração. Cartas que eu escrevia a fim de ajudá-la, assim como ela me ajudava (mesmo sem saber). Tenho essas cartas digitadas no meu computador e resolvi lê-las, para relembrar os meus pontos de vista. E surpreendi-me ao perceber que essas cartas hoje servem pra mim, assim como deve servir pra muita gente por aí.
Não falei com ela sobre postar essa carta aqui no blog, por isso não colocarei o nome, mas tenho certeza que ela não vai se importar (assim espero! =P). Bom, sem mais enrolação pro post não ficar muito longo, lá vai:

Existem tantas coisas a serem notadas, coisas que não são tão pequenas, mas são suficientemente grandes para serem percebidas.
O mundo tem seus encantos, o mundo tem suas vidas.
Nele podemos perceber grandes virtudes em cima de pequenos sonhos.
Ou grandes sonhos por conta de pequenas virtudes.
Em tudo podemos ver caminhos, em tudo há o que se segurar.
Em cada atalho um tempo a mais ganho, mas uma lição a mais
sendo perdida.
Nem tudo é o que pensamos ser... E em suas mãos está o poder.
Poder dizer, poder ouvir, poder entender, poder conversar, poder sentir!
Poder doar... Poder receber...
Muitas vezes acabamos perdendo noção do tempo e por isso esquecemos muitas coisas e entregamo-nos ao anseio. Muitas vezes coisas acontecem que nos deixam um tanto frustrados, mas logo vem o alívio e a certeza de que tudo continua e que não há mesmo tempo a ser perdido.
Apenas se continuarmos nosso caminho é que poderemos chegar ao sonho escolhido.
Não é preciso tanto esforço para que entendamos as nossas vontades.
Apenas acontece.
Nada deixa de acontecer quando tem que ser.
Dê sua mão a quem a pede, vá de encontro com quem te chama...
Há tantos corações em volta do seu, e isso te dá forças...
Segure-os bem firme, e deixe que eles te mostrem quem você é...
Deixe-os livres pra te amar.
Deixe-os te guiar...

...Camila R.F"

É como eu costumava dizer:
O que há de mais real é tudo aquilo que não podemos ver.
Não há julgamento em cima de decisões tomadas pelo coração.
A liberdade provém de si.
E o maior risco que nós corremos na vida é o de não se arriscar.

...Afinal, todos nós somos apenas poeira ao vento...

11 comentários:

Davi Mello disse...

Você escreve muito bem!

Curti os poemas, viu?

Também escrevo... Bem,meus textos têm uma característica um pouca estranha, mas veja se gosta, rsrs!

http://covildeideias.blogspot.com/

Abraços!

Jessica Berdych Laviere disse...

Obrigada pelo comentário!A união faz a força,e pelo visto já ganhei uma aliada,sempre q venho aki aprendo mais sobre mim mesma,e sobre outras coisas!

Bjuls

Pelos caminhos da vida. disse...

Retribuindo visita...

O amor acima de tudo.


beijooo.

Cadinho RoCo disse...

Linda a carta impregnada de evidências nem sempre evidentes aos nossos sentidos, mas sempre presentes. Que um exemplo? Sua sensibilidade em estender palavras tão fecundas aos nossos olhos.
Cadinho RoCo

O Autor, disse...

... ou o vento que dissipa a poeira!

AcidStorm disse...

Sentir que ajudamos ou podemos ajudar alguém dá um gostinho todo especial na vida não é mesmo?

Gostei muito do que escreveu e de creta maneira serviu para mim também.

Linkei seu blog, tudo bem?

Beijo

Paulo, disse...

menina essa carta me soaram tão familiar, que também serviu pra minha pessoa.

parabens pela forma que escreves
:)

Dois Rios disse...

São nas pequenas e imperceptíveis coisas que muitas vezes encontramos o sentido de viver.

Bj.

Livia Queiroz disse...

Adoreiiiiiii

me fez lembrar d um trecho da musica Ainda É Cedo de Legião:"Uma menina me ensinou, quase tudo o que eu sei..."
amo essa musica!

e amei o post tb!

Sofi *-* disse...

NOssa!!
Perfeitoo!!
É bem isso aí que tu escreveu!
E que sejamos felizes!


Tu é minha gêmea não adianta *-*
A gente é igual fazer o q?
hsiuahsiuahsiua

Te adoooro!
Beijoooes

Sammyra Santana disse...

que liiiinda homenagem à gratidão, à cumplicidade, à amizade, ao amor!
e que este último (o amor)seja a premissa maior nos dias de cada um de nós!
Beijinhos