quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Das coisas que eu entendo....

"Minha vida ta um furingo..."

Pois é, é isso que tá a minha vida, seja lá o que isso for!
Por isso mesmo decidi que não vou falar sobre mim... é algo pessoal demais e não to querendo tocar no assunto, ainda ta muito complicado na minha cabeça, quem sabe um dia...
Mais vale uma frase roubada: "Eu sai pra comprar sonhos e voltei com a realidade..."


"Mas tudo o que acontece na vida tem um momento e um destino
Viver é uma arte, é um ofício
Só que é preciso cuidado
Prá perceber que olhar pra dentro é o maior desperdício
O amor pode estar do seu lado"

Do Seu Lado - Jota Quest

Há um tempo cantei essa música sem pensar ao certo no que ela realmente queria dizer, mas pensando bem, não é que o cara tem razão? Exceto por um detalhe: pode até ser que uma coisa ou outra aconteça tendo um momento e um destino, mas não tudo! Tudo pronto, tudo calculadamente certinho, tudo predefinido.... Acredito numa base, uma história talvez, um caminho traçado... Mas o modo como caminhamos, o tempo que permanecemos, e se escolhemos realmente esse caminho ou um outro atalho, já faz parte do nosso livre arbítrio. Eu simplesmente não aceito a idéia de que quando algo dá certo ou errado foi apenas o destino, a vida é muito mais complexa para atribuirmos tudo ao mágico destino. É claro que muitas vezes acontecem coisas sem explicação que não tem como negar que uma força maior agiu, mas tudo da nossa vida... Isso eu me recuso a acreditar.

No mais, viver é uma arte... Uma arte para malabaristas, para equilibristas, é pra quem tem coragem... Um trabalho que às vezes requer muito esforço e nenhuma férias... O verdadeiro ofício de ser livre e feliz...

E requer cuidado... Uma palavra dita, um ato impensado, qualquer bamboleada pra fora da linha pode resultar num tremendo tombo...
É preciso cair e levantar, deixar os malabares baterem em nossa cabeça e recomeçar, tentar incansavelmente, exaustivamente, tentar outra vez... Aprender... A vida é isso, é como um cuidado calculado, um risco que no final das contas sempre vale à pena...

E você aprende que olhar apenas pro nosso umbigo não nos leva muito longe realmente, é preciso aprender a olhar para um todo, para um complexo, entender as necessidades alheias, mas tudo tem um limite, olhar sempre pela coletividade não dá!
Quantas vezes somos generosos, fazendo sempre em favor do outro, mas esquecemos a pessoa mais importante, nós mesmos, esquecemos nossas próprias vontades, esquecemos que temos que ser um pouco egoístas de vez em quando...
Eu sei que não da pra ter o rei na barriga, mas muitas vezes nos anulamos em favor de algo que nem sempre sabe reconhecer nosso valor.
Tenhamos então o equilibro de não apenas olharmos apenas para dentro de nós, mas saber olhar o outro, sem esquecer que o ensinado foi "amai ao próximo como a si mesmo", sem amar a si mais do que o outro, nem tampouco amar ao outro mais que a si mesmo...

PS: Desculpem-me a ausência, não há qualquer explicação...
Seria inútil explicar.
Meus sentimentos estavam exatamente ali...
No meu silêncio.

14 comentários:

Iza disse...

Oi Mila.
Vim dizer que continuo aqui. Te lendo.
Beijo!

JIME disse...

"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos".

(Charles Chaplin)

Beijos.

Lys disse...

Acho que vc precisa de intensidade pra escrever... acho que falta uma vida nas tuas palavras... não que esteja ruim, está muito bom, mas falta um pouco de "ÍSSIMA" nos seu Camila... hehehe
De qq modo, não dá pra acreditar em nada q não se possa duvidar tb..rsrsrs...

lorena disse...

viver é bom, mas não tem receita de bolo. é isto mesmo, a gente vai sofrer, vai chorar, vai gargalhar, vai morrer de felicidade achando que achou a perfeição aí vai sofrer de novo e assim sucessivamente, não necessariamente nesta ordem.

e olhar só pra dentro é um grande desperdicio msm, eu acredito na coletividade, na junção, união, harmonia e todo o mais. e olhe que pra acreditar nisso foi uma mudança, já passei pela fase de a humanidade não presta, hehe, mas sim, é preciso viver além dos nossos muros, mas também não é precio deixar os outros derrubarem nossa morada. td é equilibrio neh msm. amo essa palavra.

abraços mila e bom que estás de volta

=]

Cara estranho disse...

"amai ao próximo como a si mesmo"

Como a vida seria estramamente diferente se seguissemos esse ensinamento né?
As pessoas lêem tanto a bíblia e dizem que a interpretam mas o que se vê no planeta hoje é preconceito. Deprimente isso...
Mas fica bem querida. No final da tudo certo de algum jeito.

Obs: Tô voltando com o blog depois de longas férias. Morri de saudades.

Bjs

As@ disse...

Olá Mila! Que bom que vc quebrou o silêncio! Estou feliz por ler um texto seu, pois vc descreve as coisas com tanta propriedade que posso afirmar que suas palavras alimentam! Mil vivas!!!

Marcello disse...

Olá, apesar da sua ausência, eu que sou desconhecido encontro tudo novo...

Muito texto bom pra se ler.

Quando voltar, espero ter lido tudo.

Até mais.

Sammyra Santana disse...

Respeito bastante teu silêncio mas fico feliz por poder te ler novamente!
fica bem! muita energia positiva pra ti, flor!
Beijinhos

Kaos Kotidiano disse...

Passando pra dizer que indiquei teu blog em um selo

http://kaoskotidiano.blogspot.com/2009/09/selos.html

até mais...

Manuella disse...

Há momentos em que as palavras de nada servem pra expressar o nó que está dentro das idéias.

Esperamos sua volta

http://musicgeneration.zip.net disse...

Atualizei!
Vê se aparece!rs*)

http://delazari.zip.net
http://monicadelazari.blogspot.com

Ângelo disse...

"PS: Desculpem-me a ausência, não há qualquer explicação...
Seria inútil explicar.
Meus sentimentos estavam exatamente ali...
No meu silêncio"

Nunca vi uma despedida tão metaforicamente elegante.

Mas volte, teus textos fazem falta...eu estou de volta.

Grande beijo

Anônimo disse...

Acorde em mi maior, gostei do trocadilho...se foi essa a intenção. Penso em ter um blog, apesar de estarmos a mercê de julgamentos alheios, corremos o risco, para ver soar nossas metáforas. É isso aí, escolhi este poste porque me identifiquei com o silêncio ali no meio das palavras, retrato um pouco a fase em que estou...em que quanto tempo ainda não estar...Abs.

Anônimo disse...

Acorde em mi maior, gostei do trocadilho...se foi essa a intenção. Penso em ter um blog, apesar de estarmos a mercê de julgamentos alheios, corremos o risco, para ver soar nossas metáforas. É isso aí, escolhi este poste porque me identifiquei com o silêncio ali no meio das palavras, retrato um pouco a fase em que estou...em que quanto tempo ainda não estar...Abs.